sexta-feira, 27 de maio de 2011

Ações de CHOQUE - BOPE


A Tropa de CHOQUE cumpre ordem de reintegração de posse, hoje 27, às 6horas, na Rodovia J.K. No total 41 policiais do BOPE estão sendo empregados nesta operação que conta coma a atuação da Equipe do GIRO (Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva) e uma equipe de ROTAM.

Captura de Foragidos e Enfrentamento com resistência armada.

A equipe da COE, comandada pelo Sgt Eder Martins, fez a captura de três foragido da última fuga em massa da penitenciária do Estado. São eles: Izaquiel da Silva Ramos; Sérgio Evandro Teófilo e Edismael Vasconcelos do Carmo.









 
Na madrugada do dia 26 deste mês, uma equipe ROTAM foi enfrentada por bandido no loteamento Vale Verde, distrito da fazendinha, onde foram averiguar denúcias de foragidos da penitênciária. Um homem, ao avistar as viaturas do BOPE,  adentrou em uma residência sacando uma arma de fogo, e  em seguida disparou arma contra as equipes, que revidaram imediatamente, alvejando o bandido com dois tiros. ROBERTO ROBSON SOUZA DA COSTA foi socorrido ao Hospital de Emergência onde foi atendido, mas não resistiu e veio à óbito. ROBERTO, conhecido como "Zé do brilho" era foragido da penitenciária e já tinha sido condenado pelos crimes de Furto e Homicídio.
Com o criminoso foram encontrados dois revolveres cal.38, um de marca Rossi e outro de marca Taurus; 06 munições, cal38 intáctas e 02 deflagradas;  40 papelotes de drogas.






terça-feira, 17 de maio de 2011

Informações que podem ser útil à Imprensa!



Bope no Estado do Amapá: o inimigo agora é outro.”Disse o Jornal do Dia.

É fácil perceber a influência do Batalhão de Operações Especiais do Amapá, em outros seguimentos da Segurança Pública, sejam: IBAMA; Agentes Penitenciários (GTP), Exército Brasileiro (34ºbis); Corpo de Bombeiros Militar; Guarda Municipal; Polícia Técnico-científica e Polícia Civil. Todas essas unidades têm um vínculo de instrução e conhecimento adquirido no BOPE, e com certeza, a partir daí, perceberam a necessidade em expandir os conhecimentos adquiridos, formando, dentro das próprias unidades, suas especificações de atuação.Desde sua criação, em 2002, o BOPE vem combatendo o crime conforme sua dimensão e com o objetivo de apresentar à sociedade um resultado aceitável, dentro das especificações exigidas no que há de mais atualizado em questões de combate ao crime organizado, em áreas urbanas, rurais e sistemas prisionais. Nos primeiros anos de emprego da tropa especializada, a Polícia Militar do Amapá efetuou prisões e desarticulou quadrilhas envolvidas em roubos e tráfico de entorpecentes na capital e interior do Estado. O crime organizado, presente e atuando no Amapá, encontrou nas atuações policiais, em especial do BOPE, uma barreira de contenção difícil de transpor, o que levou os criminosos a agirem com mais violência, maior poder de fogo, e, especialmente, com recrutamento de pessoas de outros Estados da Federação.
Janderson Kantanhede, autor do artigo publicado no Jornal do Dia “Bope no Estado do Amapá: o inimigo agora é outro”, na edição de domingo, 8 de maio de 2011, equivocadamente, emprega o BOPE “quando a própria PM não dá conta.” Ora, se outros órgão receberam atualizações e formações dentro do BOPE do Amapá, porque razão não atualizar, instruir e preparar a própria instituição Polícia Militar, para agir em casos extremos?
O Batalhão de Rádio Patrulha – BRPM – é um dos exemplos de investimento na instituição “Polícia Militar”, esta é uma unidade idealizada e preparada por Policiais do BOPE para atuarem em ocorrências cotidianas que podem evoluir a níveis que exigem o emprego de uma tropa especializada. Neste caso, o BRPM toma todos os procedimentos preliminares de segurança até a chegada do BOPE que deverá assumir a ocorrência. Da mesma forma foram assistidos os demais Batalhões da capital e interior.
O termo “berlinda”, utilizado por Janderson, que faz referência aos acionamentos judiciais dos policiais envolvidos diretamente em ocorrências de resistência seguida de morte, deixa uma leitura de que os policiais do BOPE temem uma acusação de “assassinato”. No entanto, a doutrina ideológica que rege a formação de um policial do BOPE anda paralelamente aos parâmetros legais da constituição, e entende-se que os processos, inquisitoriais ou não, são mais uma peça de suporte legal às ações do Polícia Militar contra o crime.
    O instituto do BOPE, que está sendo criado, visa, dentre outros benefícios, desenvolver, estimular e divulgar estudos e pesquisas visando à construção e ampliação de conhecimentos técnicos e científicos e a busca de soluções orientadas a fornecer elementos práticos para a adequada gestão de Ações em Operações Especiais, além do apoio, na medida de suas possibilidades, enquanto ao assessoramento técnico, jurídico e administrativo aos policiais militares BOPE;

sábado, 14 de maio de 2011

Irmãos Assaltantes são presos pelo BOPE!

Na tarde de hoje, equipes do BOPE, comandada pelo Ten Kleber, fizeram a prisão de dois homens acusados de terem cometido um roubo à mão armada em um estabelecimento comercial no bairro do Trem. Segundo as vítimas do roubo, os homens renderam clientes e funcionários sob a mira de uma arma de fogo (pistola) subtraindo a quantia, em dinheiro, de R$ 800 reais, celulares, relógios e um computador. Os policiais do BOPE chegaram ao local logo após o roubo e, ali mesmo, as vítimas reconheceram pelas fotos do arquivo da viatura dois homens conhecidos das equipes BOPE: os irmãos Mack Thompson Ferreira Dias e Mackson Thompson Ferreira Dias, o primeiro já fora preso, julgados e condenados por roubo e porte ilegal de arma de fogo, agora cumprindo pena em regime aberto domiciliar. Além de uma quantia em dinheiro e dos objetos pertencentes às vítimas, foram encontrados um rádio transmissor e receptor HT Motorola, em poder de Mack, assim como a motocicleta usada na fuga pilotada por seu irmão, que teve a placa, NEN2777, identificada por transeuntes. A arma de fogo não foi encontrada e os acusados foram apresentados no Ciosp do Congós.
Mack Thompson